Cinco sinais de que o Low Poo está te enlouquecendo

||
Já comentamos algumas vezes aqui no blog sobre o Método Curly Girl (Low e No Poo) e essa técnica vem se popularizando cada vez mais entre a mulherada. Participo de alguns grupos do facebook sobre o assunto e tenho notado um fenômeno interessante: criou-se uma espécie de grupinho social do low/no poo, no qual você não será aceita se tiver qualquer crítica à técnica ou se não segui-la à risca. Esse fanatismo sem sentido tem gerado algumas situações bem engraçadas e que mostram claramente que o método está afetando a sanidade mental de muita gente. Faça o teste e veja se você apresenta alguns dos sintomas citados.

1- Prega a técnica em qualquer oportunidade

As amigas fazem exatamente essas caras

Você está radiante porque acha que a técnica mudou seu cabelo e a sua vida, até aí tudo bem, né? O problema começa quando você tenta convencer todo mundo de que o sulfato não é coisa de Deus e que os petrolatos só maquiam e "entopem" seus fios, isso tudo no meio do almoço de domingo ou do chopp com os amigos. Reações comuns: "Amiga, vou ali no banheiro rapidinho", "Aham..." seguido de um olhar estranho e uma tentativa de fuga do assunto (ou do local).


2- Discute com a vendedora da loja de cosméticos


Tomo mundo concorda que vendedora de loja de cosméticos enche a paciência até da pessoa mais "zen" da face da Terra, mas pra que se estressar com isso? Pense por outro lado: a mulher está ali trabalhando e ganhando uma merreca de comissão para indicar aqueles produtos pra você. Ela não tem obrigação, nem estímulo e nem tempo para pesquisar sobre os tratamentos capilares que estão em alta. Temos algumas alternativas para escapar de uma vendedora chata sem ser grossa, por exemplo:

Vendedora: Você vai levar esse produto? Ele não é pro seu cabelo!
Resposta: É para a minha irmã

Vendedora: Por que você está lendo o rótulo? Posso te ajudar?
Resposta 1: Sou alérgica

Caso ela não desista:

Vendedora: Alérgica a que?
Resposta 2: Trimethylsilamodimethicone e Sodium Alkybenzene Sulfonate

Geralmente funciona!


3- Evita petrolatos até em produtos para a pele


O grande "vilão" da técnica é o sulfato presente nos shampoos, por ressecar os fios com o uso contínuo. O impedimento de usar os petrolatos (óleo mineral, parafina) nos demais produtos se dá pelo fato deles serem removidos somente com o sulfato, que não é usado no método. Muitas pessoas se confundem e acreditam que esses compostos causam algum tipo de dano aos cabelos ou à saúde. Essa interpretação errada está fazendo com que muita gente esteja evitando os petrolatos até mesmo em hidratantes corporais e dizem estar fazendo o "low poo para a pele", o que não faz sentido algum. Porém nunca diga isso para a pessoa, você será definida como ignorante entre outros adjetivos. Caso você seja dermatologista nem tente usar uma explicação científica, afinal " dermatologista não entende nada sobre a técnica" ou "está aliado à indústria de cosméticos para te fazer gastar dinheiro". Melhor nem tentar explicar!


4- Desenvolveu T.O.C de limpeza de acessórios capilares


Antes de se começar o Low/No poo é necessário lavar os cabelos uma última vez com shampoo com sulfato para retirar qualquer resíduo de petrolatos. Algumas pessoas indicam que se lave também os acessórios capilares, como escovas e prendedores de cabelo. Tudo ok por enquanto, certo? Certo, mas a pessoa obcecada resolve fazer isso toda vez que empresta um prendedor para uma amiga ou quando a irmã que não pratica a técnica usa um pente dela. Além do exagero evidente, nem preciso comentar o desconforto que esse tipo de atitude causa, né? Ninguém vai entender e a criatura provavelmente vai perder algumas amizades sem saber o porquê.


5- Faz Low Poo no cachorro


Deixei o mais absurdo por último. Como se não bastasse ter que usar roupas, sapatos e virarem vegetarianos (oi?) por causa de seus donos, os cães ainda têm que passar por mais essa. As pessoas colocaram na cabeça que sulfato resseca a pelagem do animal, bem como os petrolatos são nocivos. Elas só se esqueceram que a pele dos cães é totalmente diferente da nossa (pH, etc), portanto tem necessidades diferentes. Sem falar que a pelagem difere dependendo da raça, então o que o dono pode achar que é um pelo ressecado é apenas uma característica totalmente normal. Também é importante lembrar que a frequência de banhos de um cão é bem menor que a de um ser humano, geralmente uma vez por semana se o dono for muito cuidadoso, portanto o shampoo(de uso veterinário) deve dar conta da limpeza de toda a pele do animal. Alterações na pelagem podem estar associadas à doenças de pele, como dermatite alérgica, micoses, sarnas, dermatite bacteriana ou mesmo a uma nutrição inadequada ou alterações hormonais. E adivinha quem é capaz de identificar isso tudo? Isso mesmo, o médico veterinário! Portanto não se esqueça de consultá-lo sempre que observar qualquer alteração na pele do seu animalzinho.

Todas as situações citadas foram baseadas em relatos reais que observo nos grupos do facebook há um tempo. Espero que todos entendam a brincadeira e reflitam se estão pagando esses micos por aí. Ao persistirem os sintomas, o bom senso deverá ser consultado!





A verdade sobre a esporotricose

||

Se você mora no Rio de Janeiro provavelmente já se deparou com algumas matérias sensacionalistas sobre uma "epidemia" de esporotricose no estado. Por se tratar de uma zoonose, doença transmissível dos animais para o ser humano, não é de conhecimento geral da população, porém é muito familiar para nós veterinários. Por esse motivo nos espantamos com esse tipo de manchete, já que sabemos que a incidência da doença no RJ sempre foi alta. Decidi fazer esse post para esclarecer algumas dúvidas e mostrar que a prevenção é mais simples do que se imagina.

O que é a esporotricose?

A esporotricose é uma micose causada pelo fungo Sporothrix schenckii e pode afetar seres humanos e animais. O fungo causador da doença está presente no solo, palhas, vegetais e madeiras, podendo ser transmitido por contato direto ou materiais contaminados, como farpas e espinhos. Os gatos se contaminam com mais facilidade por terem o hábito de enterrar as fezes com terra. Além do contato direto com o meio contaminado, o homem pode se infectar por arranhões ou contato da pele diretamente com as lesões de animais contaminados.




Quais são os sinais da doença nos gatos?

Os sinais mais comuns nos gatos são o surgimento de feridas ulceradas (abertas/profundas), que geralmente não cicatrizam ou cicatrizam e ressurgem no mesmo local. Uma outra forma clássica de manifestação da doença é a lesão " nariz de palhaço", como na foto abaixo:



O que fazer ao observar esses sinais no meu gato?

A primeira coisa a fazer ao observar quaisquer desses sinais em seu animal é levá-lo a uma clínica veterinária para o correto diagnóstico. No caso de lesões ulceradas o exame para detecção da doença é bem simples e indolor. É feito um "imprint" da lesão, que nada mais é que encostar uma lâmina de microscopia no local e enviá-la para o laboratório para ser analisada. O resultado normalmente é liberado dentro de 24 horas e já é possível iniciar o tratamento caso seja confirmado o diagnóstico.


Como é o tratamento?



O tratamento é feito com antifúngico oral prescrito pelo médico veterinário na dose adequada para o seu animal. Em alguns casos podem ser acrescentados medicamentos auxiliares e tratamento local para as lesões, dependendo da gravidade. A duração do tratamento pode variar de 2 meses até 1 ano, de acordo com a resposta apresentada. É importante que sejam tomados alguns cuidados para evitar a transmissão da doença para outros animais ou mesmo para as pessoas:

- Mantenha o animal em local isolado de animais sadios (mesmo de outras espécies, como cães por exemplo);
- Não permita que o animal saia de casa;
- Evite manusear demais o animal. Caso tenha crianças em casa explique a situação para elas e redobre a atenção;
- Use luvas ao manipular o animal ou aplicar medicamentos nas lesões;
- Lave bem as mãos com água e sabão após ter contato com o animal;
- Higienize o ambiente onde o animal se encontra com água sanitária ou cloro.

O medicamento oral é em cápsulas e quem tem um gato sabe o quanto é difícil fazê-los tomar, nesses casos extremos converse com o veterinário sobre a possibilidade de medicação manipulada em forma de pasta palatável. Essa forma só é produzida em farmácias de manipulação veterinária. É mais fácil e bem menos estressante para o gato e para o dono, que não precisa ficar apreensivo de levar um arranhão e se infectar. Basta aplicar a pasta no dorso da pata dianteira do gato e ele irá lamber feliz da vida! Por isso lembre-se de escolher o sabor preferido do seu bichano.


O que fazer se meu gato me arranhar?

Se mesmo com todos esses cuidados o acidente acontecer, mantenha a calma. Lave bem o local do arranhão com água e sabão ou álcool iodado e observe a lesão diariamente. Em caso de qualquer alteração ou dificuldade de cicatrização procure o serviço de saúde mais próximo. Médicos têm dificuldade de diagnosticar a doença por não ser tão comum, então seja claro e explique que foi arranhado por um animal infectado. O tratamento em humanos também é feito com o mesmo antifúngico oral, devidamente prescrito pelo médico.

Lesão de esporotricose humana


Como proteger meu animal e minha família dessa doença?


A principal forma de se evitar essa doença é muito simples: mantenha seu animal dentro de casa, é simples assim! Infelizmente as pessoas ainda têm a ideia de que um gato precisa "passear" e que isso faz bem para eles. Ao contrário, quando um animal sai na rua por conta própria está exposto à doença, pois vai procurar um local com terra para enterrar as fezes e pode se envolver em brigas com outros gatos, podendo ser infectado também dessa forma. Portanto, mantenham seus animais a salvo dentro de casa sob sua responsabilidade e cuidado. Telas são essenciais para que eles não fujam e a castração ajuda no processo, pois o animal não terá o estímulo de sair para procurar um parceiro. E por último, porém não menos importante: não abandonem seus animais se estiverem infectados! Você só estará contribuindo para a disseminação da doença, além de ser um ato de extrema crueldade. Com os cuidados adequados é possível que o animal seja tratado e não transmita a doença.
Ficou com alguma dúvida? Deixe nos comentários e terei prazer de responder.



Projeto Rapunzel: relato super sincero

||
Esse é um relato super sincero de uma tentativa de "Projeto Rapunzel", já vou logo avisando que infelizmente o cabelo da foto abaixo não é meu!


Mas como assim o meu cabelo não cresceu 5 cm por mês como o daquela youtuber que você viu outro dia? Bom, para início de conversa qualquer pessoa que te disser que o cabelo cresceu mais de 2 cm por mês está mentindo, isso é o máximo que um cabelo humano cresce mensalmente. Caso o seu cabelo cresça menos de 1 cm por mês ou você tenha queda excessiva e falhas no couro cabeludo é o caso de procurar um dermatologista. Os produtos usados no couro cabeludo apenas estimulam a circulação, além de controlar a oleosidade excessiva, é isso que vai ajudar que o cabelo tenha um crescimento normal. No meu caso, por ter passado 2 anos loira eu tinha muita quebra nas pontas, o que fazia com que o comprimento não passasse dos ombros. Quando fiquei ruiva a quebra diminuiu um pouco e resolvi testar os produtos abaixo:





Shampoo Rapunzel


O shampoo Rapunzel da Lola cosmetics possui uma série de extratos botânicos em sua fórmula, além de aminoácidos e óleos. Até a cafeína do famoso "shampoo bomba de café" está presente, pensei: com tudo isso não tem como dar errado, né? Tem sim! A proposta do shampoo é muito boa, porém para mim foi impossível fazer um uso contínuo pois ele faz uma limpeza bem profunda que leva embora a minha amada tinta e também a hidratação. Porém ele foi muito útil quando eu iniciei o Método Curly Girl e tive um pouco de caspa, ele resolveu em uma lavagem apenas, acredito que tenha sido pela presença dos extratos botânicos. Caso você tenha cabelo oleoso ele pode ser uma boa opção.


Máscara Crece Pelo


Uma máscara obviamente não vai acelerar o crescimento capilar porque não é aplicada no couro cabeludo, mas comprei a Crece Pelo somente pelo quesito hidratação mesmo. Um cabelo bem hidratado quebra menos e com isso o crescimento se torna visível. Comprei o pote de 1kg e, como é possível ver na foto, usei até acabar.



Ela é branquinha e tem uma consistência média, extremamente hidratante, o tempo de ação recomendado é de 15 minutos. Eu costumava usá-la como base para hidratações caseiras e deixava na touca térmica quando tinha tempo.


A fórmula contém, além de pantenol e glicerina, uma série de extratos botânicos e é liberada para o Método Curly Girl (No Poo). No cronograma capilar ela se encaixa na fase de hidratação. Fiquei muito satisfeita com o resultado como hidratação, mas com relação ao crescimento nenhuma máscara terá esse efeito.


Tônico Rapunzel


Esse foi o produto que fez a diferença! A fórmula é quase idêntica a do shampoo. Após a lavagem eu aplicava em todo o couro cabeludo e massageava, a sensação é bem refrescante e não interfere em nada na hidratação. A marca recomenda aplicação diária se a queda for severa, 3 vezes na semana se for moderada e para tratamento preventivo 2 vezes na semana. Eu apliquei em todas as lavagens até o produto acabar, o que levou quase um ano. O que pude notar é que tive o aparecimento dos famosos "baby hair", os cabelinhos novos que nascem, isso significa que o tônico realmente estimulou o crescimento capilar. Porém a velocidade de crescimento continuou a mesma, cerca de 1 cm por mês, como eu disse no início isso não tem como ser mudado com esse tipo de produto.

Por que meu cabelo não cresceu então?

Na verdade meu cabelo cresceu, como eu disse acima, mas acabei cortando 2 vezes durante o processo de teste dos produtos. Acabei cometendo o erro de não querer nem aparar as pontas de forma alguma, porém como tenho tintura e descoloração por baixo (era loira antes de tingir de ruivo) meus fios formam pontas duplas facilmente e por não cortar o aspecto só piorou. Acabei cortando as pontas em outubro. Em janeiro também cortei e  fiz um corte bordado, melhor invenção da humanidade aquela maquininha! Agora não pretendo mais usar nada para estimular o crescimento, apenas hidratar e fazer o corte bordado a cada 3 meses.

E você, já testou algum produto para crescimento capilar?

É ondulada? Conheça nosso grupo no Facebook: Onduladas 2A






Cinco conselhos que uma ondulada 2A não deve seguir

||
Toda ondulada assim que abandona a progressiva e a chapinha vai correndo atrás de dicas para cuidar desse nosso cabelo tão difícil, não é? Aí você digita "cabelo natural" no google e o que aparece? Cabelos cacheados e crespos! Quando encontramos alguma ondulada geralmente ela é 2C, ou seja, pode usar quase todas as dicas para cachos. Na falta de conteúdo próprio para ondas acabamos muitas vezes seguindo as dicas das cacheadas e o resultado quase sempre é frustrante. Listei os 5 conselhos de cacheadas que não funcionam para nós, lembrando que estou focando na curvatura 2A, ok?

1- Não penteie seu cabelo quando estiver seco


Esse conselho não vai dar certo nunca, principalmente se você tiver um cabelo 2 A com volume. O que acontece com as cacheadas é que após a finalização os cachos ficam bem modelados, o que não acontece com a gente porque não temos cachos! 

Solução:


As ondas se formam de maneira irregular e precisam sim ser penteadas após a secagem, nem que seja somente com os dedos. Minha sugestão é o uso de um pente de dentes largos e um bom óleo finalizador.


2- Faça fitagem


Só quem já tentou essa técnica sabe o tamanho da decepção.Eu juro que fiquei igual ao poodle da foto, apenas não tive coragem de registrar esse momento! Mesmo adaptando a quantidade de creme (a quantidade deve ser bem menor do que a usada pelas cacheadas) não consegui nenhuma definição e o frizz foi potencializado.

Solução:

Além das técnicas alternativas que eu ensinei nesse post, você pode tentar um desses 2 métodos:

Plopping


Rake and Shake


Ainda não tive coragem de testar nenhum desses 2 métodos, mas acredito que o plopping possa dar mais certo. O rake and shake deve funcionar bem para as curvaturas 2C, para as 2A/B pode ser adaptada com menos quantidade de creme, mas existe o risco de ativar o frizz como na fitagem.


3- Use ativador de cachos 


Se a fitagem não deu certo e deixou o cabelo armado e com frizz, imagine acrescentar o ativador de cachos nessa brincadeira! Aí você vai me perguntar: Mirella, você é meio doida, né? De onde tirou essa ideia de usar ativador de cachos se você não tem cachos? Pois saiba que várias onduladas usam e dizem que dá certo, por isso tentei. A textura deles é em gel, é feita para modelar e "segurar" a forma dos cachos, infelizmente com as ondas só deixa duro mesmo. 
Solução: Não use!


4- Faça um corte em camadas


Quem nunca ouviu isso: "Faz um corte em camadas para definir"? Aí a gente faz e fica como? Estilo Cláudia Raia nos anos 80! Gente, não tem como definir um cabelo ondulado e volumoso assim, só fica com mais volume, uma desgraça! Franjinha e degradê na frente também não são uma boa ideia, experiência própria!

Solução:


O jeito é fazer um corte o mais reto possível e levemente desfiado nas pontas. Eu sei que o da Paola Oliveira está modelado, mas não custa sonhar que o nosso vai ficar parecido!


5- Faça umectação com óleo de coco


Esse vai ser um tópico polêmico, porque sei que muita gente ama umectação com óleo de coco, inclusive lisas, mas minha experiência foi a pior possível. Contei meu drama em detalhes nesse post aqui. Resumindo: o óleo não saiu de jeito nenhum e pelo esforço para tirar acabei tendo um ressecamento extremo dos fios. Li relatos de outras meninas que tiveram o mesmo problema que eu, então não aconselho o uso em cabelos finos.

Solução:

O óleo de coco pode sim trazer muitos benefícios para os cabelos, desde que esteja presente na fórmula de algum produto capilar. Outra opção é adicionar um pouco do óleo na máscara de hidratação. Um produto que contém óleo de coco e funciona muito bem no meu cabelo é o condicionador Elseve Nutrição Intensa.

E você, já seguiu algum desses conselhos e se deu mal também?

ATUALIZANDO: Queridas onduladas, agora temos um grupo no Facebook só para trocarmos dicas sobre nosso tipo de cabelo, cliquem aqui: Onduladas 2 A









© BL Design - 2016. Todos os direitos reservados || Tudo aqui é feito com amor.
Criado por: Bianca Layouts ♥ EXCLUSIVO! ♥ .
Tecnologia do Blogger .
imagem-logo